Nicotina

O que é mesmo a Nicotina?

A Nicotina não é uma substância cancerígena, nem tão pouca é a principal causa de morte prematura dos fumadores, responsabilidade essa do Monóxido de Carbono, Alcatrão e outras milhares de substâncias encontradas num cigarro convencional.

É uma substância que causa dependência, e em grandes quantidades é considerada um produto muito tóxico.

Partindo deste princípio, o Royal College of Physicians, em Londres, concluiu que os riscos associados à Terapia de Substituição de Nicotina para ajudar na cessação de fumar são significativamente compensados pelos riscos em fumar.
O estudo ainda diz "Enquanto a Nicotina por si só não pode ser ilibada completamente por causar malefícios à saúde, é claro que a sua contribuição em comparação ao Tabaco é muito baixa. Não é a nicotina só por si, mas sim o sistema que a providencia - o cigarro é um sistema muito "sujo"." Mais informação (Setembro 2008, em Inglês).

A Nicotina é uma substância alcalóide natural obtida da planta do Tabaco "Nicotania Tobaccum". Outras substâncias alcalóides são: cafeína, cocaína e morfina.

A Nicotina quanto obtida de um cigarro é destilada do tabaco em combustão, sendo posteriormente inalada para os pulmões por intermédio de pequenas partículas de alcatrão. Devido à acidez do fumo do cigarro, a nicotina é absorvida nos pulmões, ao contrário dos cachimbos e charutos, que são menos ácidos, e a absorção da nicotina começa na boca. Com os cigarros, a nicotina entra na corrente sanguínea e chega ao cérebro em cerca de 10 segundos.

A tolerância aos efeitos tóxicos da nicotina rapidamente evolui e mantém-se. Alguns dos efeitos tóxicos são:

  • Dores de cabeça, tonturas, insónias, sonhos invulgares, nervosismo;
  • Azia, boca seca, náuseas, vómitos, diarreia;
  • Mialgia.
A Nicotina é metabolizada principalmente no fígado, mas também em menores quantidades nos pulmões e cérebro.

A Nicotina é conhecida por aumentar a pressão sanguínea e ritmo cardíaco, reduzindo ao mesmo tempo o fluxo de sangue nas coronárias, quando ele é mais preciso (o coração está a bater com mais força, precisando de mais oxigénio, enquanto ao mesmo tempo passa menos sangue e oxigénio por ele).
Afecta o fluxo sanguíneo para diferentes órgãos - vasoconstrição (menos fluxo sanguíneo) para a pele e vasodilatação (maior fluxo sanguíneo) para os músculos. A nicotina também aumenta o metabolismo e, geralmente, os fumadores pesam menos de 4 kg que os não fumadores.

Dois ensaios clínicos sobre a medicação de nicotina em pacientes com doença arterial coronariana, usaram pensos transdérmicos como Terapia de Substituição de Nicotina para os ajudar a deixar de fumar - não foi encontrada qualquer evidência de que a nicotina é prejudicial. O mais interessante é que muitos dos participantes continuaram a fumar, obtendo a nicotina dos pensos e dos cigarros!

A nicotina é classificada como viciante, porque cumpre os seguintes critérios:
  • Cria efeitos no cérebro que são agradáveis e gratificantes, reforçando a auto-administração;
  • Após um período de exposição crónica, a retirada da droga pode provocar um síndrome de abstinência, que o toxicodependente pode procurar evitar por intermédio de uma maior utilização da droga.
Referências:
  • Benowitz NL, Jacob P 111, Jones RT, Rosenburg J. Interindividual variability in the metabolism and cardiovascular effects of nicotine in man. J Pharmacol Exp Ther 1982: 221:368-72.
  • Joseph AM, Norman SM, Ferry LH, Prochazka AV, et al. The safety of transdermal nicotine as an aid to smoking cessation in patients with cardiac disease.
  • Palmer KJ, Buckley MM, Faulds D. Transdermal nicotine. A review of its pharmacodynamic and pharmacokinetic properties, and therapeutic efficacy as an aid to smoking cessation.
  • Perkins KA. Metabolic effects of cigarette smoking. J Appl Physiol 1992. 72:401-9
A presença desta substância no Cigarro Eletrónico obriga-nos legalmente a rotular os nossos produtos com as advertências e símbolos de perigo adequados, aos quais deverá prestar a máxima atenção e respeito, para sua segurança e dos outros.


<<< Propilenoglicol